Ter um cachorro desde o início da vida reduz a chance de uma criança ter asma, afirma estudo

Pesquisa liderada pela acadêmica Silvia Colicino, do Imperial College London, descobriu que crianças são menos propensas a desenvolver asma durante o seu crescimento se tiverem um cachorro de estimação desde cedo.

Ter um cachorro desde o início da vida reduz a chance de uma criança ter asma, afirma estudo

Em entrevista, a doutora revelou que a pesquisa ainda está em estágio inicial:

“Precisamos compreender ainda mais as razões para isso, estudos anteriores mostraram que os cães podem transportar bactérias protetoras “úteis”, mas também possuem alérgenos que podem causar sintomas de asma. É um contexto misto que precisamos analisar ainda mais”.

Ela acrescentou que acreditava que isso era porque os cães estavam mais sujos, de modo a expor as crianças às bactérias no início, o que ajuda seu sistema imunológico a proteger contra alergias.

“Os cães tendem a viver fora e eles carregam níveis elevados de bactérias. O contato precoce de crianças com cães – até dois ou três anos de idade, mas especialmente no primeiro ano de vida – parece proteger contra a asma”, disse ela.

O estudo examinou 20 mil crianças de cinco diferentes faixas etárias. Os pesquisadores visavam identificar fatores de risco que poderiam sugerir que uma criança pequena que estava sibilando, ou seja, com chiado no peito ou ronco sibilante, provavelmente teria chances de desenvolver asma, para construir uma ferramenta preditiva. Outros sinais potenciais de que a criança poderia desenvolver asma incluíam alergia aos ácaros e aos gatos da casa. Colicino acrescentou:

“Nossa pesquisa mostrou que houve muitos fatores que podem prever se as crianças terão asma até a idade de 20 anos. Por exemplo, uma criança com sintomas de sibilância e eczema na primeira infância possui mais de 75% de propensão a desenvolver asma até a idade de 20 anos em comparação com uma criança com sibilância sem eczema na idade pré-escolar. A alergia à ácaros também foi associada a um aumento no risco de asma na vida. Nosso método de predição foi bem e tem uma precisão global de cerca de 80%”.

As descobertas foram apresentadas no início deste mês na reunião de inverno da British Thoracic Society. Os acadêmicos do Imperial College London, da Universidade Brunel, da Universidade de Aberdeen, da Universidade de Manchester, da Universidade de Southampton e da Universidade de Bristol colaboraram no relatório. A Dra. Erika Kennington, da Asthma UK, alerta:

“É importante lembrar que todos os animais, incluindo cães e gatos, produzem caspa, urina e saliva que também podem desencadear sintomas de asma”.

Fonte: The Telegraph

Recomendado para você

Sobre o autor: Enciclopets

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *