Quer doar um animal? Então siga estas dicas importantes!

Existe diferença entre doar e dar um animal. E ela pode afetar o destino que ele terá, a responsabilidade assumida por quem adota e até o acontecimento de novas ninhadas indesejadas. Os riscos existem em função de que o adotante, frequentemente, adota por impulso, adota mas não é ele próprio quem vai sustentar ou cuidar do animal, não tem experiência em criar animais ou os cria de forma inadequada, não possui as condições e os recursos para atender às necessidades básicas do animal, pode ter características de personalidade que ameacem a segurança ou o bem-estar do animal. Nesses casos, é frequente que o animal seja devolvido, abandonado, negligenciado, maltratado ou até tratado com crueldade.

Em virtude disso, sugerimos que siga algumas das nossas sugestões abaixo:

Critérios para Doação

Não doar nas seguintes situações:

  • A pessoa recusou-se a assinar o Termo de Adoção e Guarda;
  • A pessoa aparentando estar alcoolizada ou drogada;
  • Não exibe os documentos: identidade, CPF, comprovante de residência;
  • Menor de idade desacompanhado de adulto;
  • Mostra medo ou repulsa no contato com o animal;
  • Está desempregado ou não tem emprego fixo;
  • Residência alugada e o proprietário (ou convenção do prédio) não permite animal;
  • Motivos alegados para adotar: dar de presente para alguém sem que este tenha conhecimento, fazer guarda em local onde não há presença humana permanente, usar como reprodutor, usar em práticas combatidas (rinhas, rituais, etc)
  • Há alguém na residência que não está de acordo ou não sabe da adoção;
  • A pessoa que vai sustentar ou ser responsável pelos cuidados com o animal não sabe ou não concorda com a adoção;
  • Não tem condições financeiras para cuidar do animal;
  • O animal será mantido permanentemente isolado ou preso, em área, canil ou corrente;
  • O animal não terá espaço suficiente (nem compensação com passeios diários), será deixado sair sozinho, não terá abrigo contra intempéries;
  • O animal será mantido sem companhia humana nem de outro animal por todo o dia;
  • Destino impróprio dado aos animais que já teve: muitos animais doados para terceiros, abandono na rua ou na residência de onde saiu, muitas fugas, mortes por falta de assistência ou recursos;
  • Educa os animais de forma imprópria ou cruel (por exemplo: machuca, deixa sem comer ou imobilizado, mantém em isolamento por longo tempo);
  • Não tem com quem deixar o animal quando viaja; deixa sozinho na residência;
  • Admite que irá abandoná-lo na rua ou dar a desconhecido se não puder mais criá-lo ou quer o animal para caçar ratos;
  • O animal demonstra repulsa pela pessoa, embora seja dócil e sociável (tenta fugir ao contato, ameaça, tenta morder ou arranhar).

Aprofundar e esclarecer, antes de decidir doar

  • O adotante reside fora do município, do estado ou do país;
  • Número grande de pessoas em residência com poucos cômodos;
  • Muitas crianças de pouca idade; presença de bebê ou gestante;
  • Não tem qualquer preferência, inclusive aceita qualquer espécie de animal;
  • Nunca criou animais antes (verificar motivos da adoção e informações que possui);
  • Já possui grande número de animais;
  • O adotante não é a pessoa que vai sustentar ou cuidar do animal;
  • Motivos para adotar: não alega motivos objetivos ou os motivos parecem impróprios;
  • Não esteriliza, não vacina e nem vermífuga seus animais;
  • Não costuma levar seus animais ao médico veterinário;
  • Há pessoa alérgica a pelos ou que não gosta de animais na residência;
  • Não demonstra preocupação se o animal fugir ou se perder.

Leia também:

Doar

  • O adotante não se insere em nenhum item do critério NÃO DOAR;
  • As questões duvidosas do critério APROFUNDAR foram esclarecidas de forma positiva;
  • A pessoa escolheu o animal a ser adotado;
  • A pessoa demonstra afeto, cuidado e satisfação no contato com o animal.

 

Doações especiais

  • Doar apenas para pessoas conhecidas ou confiáveis:
  • Gato de pelagem totalmente preta;
  • Animal deficiente (ex: cego, amputado);
  • Animal muito idoso.

Condições para colocar Cão e Gato para doação

  • Ser dócil e estar saudável;
  • Vermifugado e vacinado, pelo menos contra a raiva;
  • Esterilizado (fêmea e macho).

Recomendado para você

Sobre o autor: Enciclopets

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *