Notícia: Animais são Queimados Vivos em Incêndio Criminoso no MT

Notícia: Animais são Queimados Vivos em Incêndio Criminoso no MT

Incêndio de grande proporção no município de Nova Ubiratã matou pelo menos 23 vacas leiteiras, vários animais silvestres e destruiu mais de 350 hectares de vegetação. O incêndio trata-se de uma ação criminosa de desmatamento.


Repercussão do incêndio ganhou força nas redes sociais


Animais são queimados vivos em incêndio criminoso


A situação no assentamento Entre Rios, situado a 150 quilômetros de Nova Ubiratã, ganhou repercussão após a agricultora Maristela Palschi, que teve parte do seu rebanho perdido no incêndio, ter divulgado um vídeo onde os animais aparecem bastante feridos e agonizando.


O vídeo rapidamente viralizou nos grupos de Whatsapp e redes sociais, mostrando o drama vivido pela mulher que chora ao ver a destruição causada pelo fogo.



“Olha o que eu encontro hoje cedo (…) uma vaca que eu paguei R$ 3 mil. Eu vou ter que chegar ali e cortar a garganta [animal] porque ela não levanta nunca mais. Tudo isso aconteceu enquanto eu dormia cansada depois de um dia de trabalho”, diz a mulher emocionada.



Em outro trecho do vídeo, ela mostra um bezerro que apesar de estar em pé agoniza com quase 90% do corpo queimado.



“Olha as orelhinhas queimadas dele (…) eu vou ter que matar pro bichinho parar de sofrer (sisc)”, lamenta a mulher.



Animais são queimados vivos em incêndio criminoso no MT


Prefeitura pede apoio da federal na região


A prefeitura de Nova Ubiratã, através do secretário de Meio Ambiente, Ari Antônio Basso, solicitou apoio do governo federal para combater mais de mil focos de incêndio detectados no município.



“Estamos fazendo tudo o que está ao nosso alcance. A extensão territorial do assentamento é enorme e o município não tem equipamentos e nem homens preparados para o combate de incêndios”, explica.



Ainda de acordo com o gestor da pasta, por se tratar de uma ação criminosa o caso já foi comunicado à Polícia Judiciária Civil do município e a expectativa é que os autores sejam identificados e punidos.



“Desde o início do ano a secretária de Meio Ambiente vem promovendo uma série de ações de conscientização como; palestras em escolas públicas e campanhas orientativas que incluíram a confecção de folders, faixas e até de outdoors gigantes. Infelizmente estamos diante de uma cultura criminosa que se arrasta por décadas”, completa Basso.



Crime federal


O Artigo 41 da Lei Federal 9.605/1998, que trata dos crimes ambientais, estabelece que o ato de provocar uma queimada florestal é punível com pena de dois a quatro anos de reclusão e multa de R$ 3,4 mil. Se o ato não for intencional, é caracterizado como culposo, com pena de seis meses a um ano, além da multa.


Envie seu comentário

Optimization WordPress Plugins & Solutions by W3 EDGE