Alimentação natural para animais de estimação: Como funciona?

Comum em países como Estados Unidos e Austrália, a alimentação de cães e gatos com comida fresca e natural ainda é algo muito novo entre donos de animais e profissionais veterinários brasileiros. Por isso, a Enciclopets preparou uma lista de coisas que você precisa saber antes de decidir fazer ou não a transição da ração industrializada para a alimentação natural. Vamos nessa?

cachorro na dúvida entre escolher um prato de ração ou de alimentação natural

Cada um na sua

Antes de mais nada, é preciso esclarecer: Alimentação Natural para pets (conhecida como AN) não é o mesmo que resto de comida humana. Pessoas e animais têm necessidades nutricionais diferentes e alguns alimentos dos donos podem até ser prejudiciais aos bichos – caso da cebola, por exemplo. Uma boa dica é guardar esta lista a seguir de comidas perigosas e conferi-lá sempre que necessário.

Alimentos tóxicos para cães

alimentos tóxicos proibidos para cães

  • Abacate
  • Álcool
  • Cebola e alho
  • Café, chá, cafeína e outros
  • Uvas e passas
  • Leite e derivados
  • Macadâmia
  • Doces
  • Chocolate
  • Carne gorda e ossos
  • Caquis, pêssegos e ameixas
  • Ovo cru
  • Carne e peixe cru
  • Sal
  • Alimentos e bebidas açucarados
  • Batata e pele de batata
  • Frituras
  • Sementes de maçã e pera

Dito isso, podemos definir Alimentação Natural como toda alimentação saudável e balanceada, feita com ingredientes frescos, selecionados e de qualidade, que supram todas as necessidades do animal. Esse alimento pode ser oferecido de três formas: cozido, cru com ossos e cru sem ossos, tipos que serão detalhados no tópico a seguir.

Antes disso, um último alerta: leve seu pet ao veterinário para um check-up antes de trocar a comida processada pela natural e só inicie a fase de transição da comida se a saúde dele estiver em dia. Caso contrário, será necessário providenciar uma dieta especial, que também pode ser indicada pelo médico. Pesquise, leia e aprenda, mas nunca deixe de consultar um médico veterinário antes de começar a mudar a rotina do seu pet, ok?

 ração industrializada x alimentação natural - qual a melhor opção?

Alimentação natural: Quente ou frio? Duro ou mole?

Entre as três formas de alimentação natural já citadas, a mais comum é a cozida. Nela, todos os ingredientes passam por esta forma de preparo para garantir a segurança alimentar e conferir um sabor capaz de atrair os pets mais exigentes. Esse tipo também facilita o trabalho para pets que não tenham tolerância ou capacidade para consumir carne crua ou ossos. Por outro lado, é mais trabalhosa para o dono. Neste link (dieta cozida), é possível encontrar todos os prós e contras, recomendações e contra-indicações importantes sobre essa dieta.

Outra forma é a crua com ossos. Ela é biologicamente alinhada à fisiologia do animal, já que contém carnes, ossos e vísceras cruas. É inspirada no modelo BARF (Biologically Appropriate Raw Food; do inglês, Comida Crua Biologicamente Apropriada), desenvolvida pelo veterinário australiano Ian Billighurst nos anos 80 com o intuito de imitar a dieta natural dos lobos, parentes dos cães. Trata-se, portanto, de uma dieta quase toda carnívora, totalmente crua e com poucos legumes crus processados no liquidificador.

Por fim, o terceiro tipo é a crua sem ossos. Esta é a mais natural, prática e econômica das três opções, pois trata-se apenas de carnes e vísceras cruas com vegetais e carboidratos cozidos (e triturados, no caso dos gatos). Por outro lado, exige disciplina e organização, já que você terá que preparar as porções e quantidades corretamente, o que leva algum tempo.

alimentação natural para animais de estimação

Leia também:

Estude, converse e respeite – ou nem comece!

Alimentação natural para pets não é brincadeira – e, sim, dá mais trabalho do que apenas abrir embalagens. Em seu site dedicado ao assunto, a veterinária e jornalista Sylvia Angélico, apela para que ela seja tratada com seriedade pelos donos de pets.

“Por favor, adote a Alimentação Natural com responsabilidade ou nem comece”, destaca.

“Dietas caseiras ainda enfrentam preconceitos e resistência por parte de muitos veterinários pura e simplesmente porque algumas pessoas assumem a alimentação do pet sem critério algum. Sem estudar nada sobre o assunto. Por favor, não faça isso”, diz ela. “Entre uma dieta caseira grosseiramente desbalanceada e ração, prefira sempre a ração. Por favor.”

Por isso, o recomendado é ler bastante sobre o assunto (sempre em fontes confiáveis), procurar a orientação de médicos veterinários que estejam dispostos a ajudar nesse processo e estar disposto a modificar a sua rotina para se dedicar ao preparo da comida do seu pet. Afinal, se cozinhar é amor, por que não fazer isso também pelo seu pet?

Principais fontes consultadas: Cachorro Verde, Hypeness, Tudo sobre Cachorros

Atenção

As informações publicadas neste site são apresentadas com a melhor das intenções. Contudo, não podemos garantir resultados. São múltiplos os fatores que podem influenciar a saúde do seu animal de estimação e não temos controle sobre a qualidade dos ingredientes usados, como a dieta é preparada e o estado de saúde atual do seu pet. Deste modo, não podemos nos responsabilizar por resultados diferentes dos desejados, incluindo (mas não limitado a) quaisquer prejuízos ou danos resultantes da tentativa de seguir informações contidas aqui. O conteúdo deste site é apresentado unicamente para fins de informação e não substitui em absoluto a orientação de um médico-veterinário.

Compartilhe com seus amigos

Recomendado para você

Sobre o autor: Enciclopets

1 Comment

Deixe uma resposta

O seu endereço de e-mail não será publicado. Campos obrigatórios são marcados com *